Últimas de Cotidiano
  • Há 3 Minutos Réu da Lava Jato acusa PT e Haddad de calote de R$ 2,6 mi
  • Há 13 Minutos Grupo de elite da Polícia Civil recebe treinamento de polícia norte-americana
  • Há 24 Minutos Jovens consomem bebidas e lanches e saem sem pagar
  • Há 32 Minutos População reclama de atitudes sexuais de andarilhos no Centro
  • Há 32 Minutos BPFron recupera dois veículos após denúncia
  • Há 41 Minutos Morrem os dois baleados por policial à paisana
  • Há 1 Hora Transporte de órgãos dispara após FAB manter aeronave à disposição
  • Há 1 Hora Aeroporto Afonso Pena recebe ação contra o tráfico de pessoas
  • Luana Monteiro
  • CGN com Tribuna Popular

19 Março 2014 | 08h25min

A morte da estudante da Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana), localizada em Foz do Iguaçu, pode ter causa ‘espiritual’. Jeferson Diego Gonçalves, 30 anos, preso no último fim de semana disse em depoimento que matou a uruguaia Martina Piazza Conze como uma ‘oferenda’ para um orixá do candomblé.

O corpo da universitária foi encontrado no dia seis de março em um apartamento no Centro de Foz do Iguaçu. Ela teria sido enforcada por um fio elétrico no dia três.

Jeferson foi preso no sábado (15) pela Polícia Militar em Nova Laranjeiras. Ele disse que estava indo a pé para cumprir uma promessa, em Paranaguá, a Nossa Senhora do Rocio. Segundo o delegado-chefe de Foz do Iguaçu, Alexandre Macorin, o acusado apresenta comportamento psicopata e não demonstrou arrependimento pelo crime. “Na noite do assassinato Martina e Jeferson teriam marcado um encontro em um terreiro de ‘pai de santo’ e depois foram beber. Em seguida passaram em um mercado para comprar bebidas e foram para o apartamento”, explica o delegado.

O acusado disse que matou a jovem como oferenda, após orientação do ‘pai de santo’. 

Carregar mais notas ao vivo
33 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário