Últimas de Cascavel
  • Há 1 Hora Lentidão na consulta médica é alvo de reclamações
  • Há 3 Horas PM recupera veículo que foi furtado no Esmeralda
  • Há 4 Horas Briga de casal mobiliza PM no Floresta
  • Há 4 Horas PM e Samu são mobilizados no Bairro Santa Felicidade
  • Há 5 Horas Carga de cigarros é encaminhada à Receita Federal
  • Há 5 Horas Homem é agredido por moradores no Residencial Jaborá
  • Há 6 Horas Operação Bloqueio é realizada no Pq. São Paulo
  • Há 6 Horas UPA: família cobra respostas após fuga de paciente
  • Nileide Vieira
  • Alini Bianco/Gazeta do Paraná

22 Novembro 2013 | 08h48min

Com os chamarizes qualidade e preço baixo, o Restaurante Popular Albino José Zanata, de Cascavel, já atende há mais de um ano e mantém, ainda hoje, uma média de 1.000 a 1.100 refeições servidas diariamente. A possibilidade de implantação de novos restaurantes como este já foi descartada este ano e a justificativa dada na época demonstram que o restaurante não agradou tanto a administração quanto agradou aos usuários.

Se já não estava muito bom para os cofres públicos bancar parte de cada refeição para alimentar a baixo custo um público que não era exatamente o esperado, já que nem sempre os frequentadores são pessoas carentes; a tendência é que este descontentamento aumente um pouco daqui pra frente, juntamente com o preço pago pelo serviço, que em breve sofrerá aumento, conforme prevê o contrato.

Atualmente a Refeivel, empresa terceirizada que atende o restaurante popular, recebe R$ 3,70 por refeição. A população paga R$ 2,00 e o Município subsidia o valor de R$ 1,70 restante, mas o contrato prevê que depois de um ano este valor pode ser reajustado. “O contrato é para dois anos, mas a cada ano o valor da refeição é reajustado com base no índice IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), nós já encaminhamos o pedido e o reajuste está em análise na prefeitura, mas para dezembro já é para ter este aumento”, conta o sócio da Refeivel, José Carlos Melo.

A secretária de Assistência Social, Inês de Paula, confirmou o pedido de reajuste da empresa, mas não adiantou se o aumento será repassado também para a população e nem quando isso poderá acontecer. “A empresa pediu um realinhamento dos valores e este pedido está em análise no jurídico que está avaliando se este pedido é justo e se será aceito. Num segundo momento, caso seja acatado o pedido da empresa, então iremos decidir se o município vai absorver o valor reajustado ou vai repassar à população”, conta a secretária.

O valor mensal pago pelo Município pelas refeições servidas é em média R$ 34 mil, considerando o valor atual de R$1,70 e que são servidas cerca de 1.000 refeições diárias. Dependendo do valor reajustado e caso fique definido que a prefeitura arcará com o valor sem repassar à população, a média mensal pode dar um salto considerável. Num exemplo hipotético, se o reajuste for de R$ 0,50, de R$ 34 mil, a prefeitura passará a pagar em torno de R$ 44 mil. Por outro lado, se o aumento for repassado aos usuários do restaurante, ainda na hipótese de aumentar R$ 0,50 por prato servido, a refeição será cobrada pelo valor de R$2,50. No entanto, até agora o que se sabe é que o preço das refeições do restaurante popular de Cascavel vai subir. Para saber que paga as conta somente daqui mais uns dias. “Eu acredito que de 10 a 15 dias o jurídico termine a análise e todas estas situações já estejam definidas, mas isso não é um prazo, é uma previsão”, finaliza Inês de Paula.

Carregar mais notas ao vivo
16 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário