• Denise Oleinik
  • Nathália Sartorato/Gazeta do Paraná

12 Setembro 2013 | 07h41min

No tempo da Grécia Antiga, Sócrates dizia existir quatro loucuras: a poética, produzida pelas musas; a religiosa, onde deuses se comunicariam com os homens usando seus corpos; a amorosa, produzida pela deusa Afrodite e a ritual, na qual o louco chegaria ao êxtase através de danças e rituais. O que Sócrates não poderia prever é que a modernidade e o estresse do cotidiano contemporâneo trariam muitas novas formas de enlouquecer. As muitas vertentes da loucura foram escolhidas como tema para o espetáculo FOLLIA da Cia de Dança Juliana Carletto de Curitiba.

Os bailarinos estão em turnê pelo Paraná e hoje (12) às 20h se apresentam no Centro Cultural Gilberto Mayer. Amanhã (13) será a vez de Nova Santa Rosa receber o espetáculo e na sequência a turnê passará por Palotina (dia 14), Capanema (17), Renascença (18), Pato Branco (19), Palmas (20) e Dois Vizinhos (21).

O termo FOLLIA vem do italiano e significa loucura, demência, exagero, fantasia. A responsável por transformar tudo isso em dança é a coreógrafa Juliana Carletto, graduada em Dança pela Faculdade de Artes do Paraná e especialista em composição coreográfica pela EDGE Performing Arts Center de Los Angeles.

A apresentação, que faz parte do Circuito Cultural SESI, é gratuita e não é preciso retirar ingressos antecipadamente.

Carregar mais notas ao vivo
Envie seu comentário