• Rafael Marcante
  • CGN

01 Junho 2013 | 02h24min

Antes do reencontro emocionado, ainda na casa onde mora, em Cascavel, a noiva Grazielle, ajustava os detalhes finais da loucura de amor. Por celular ela conversava com o futuro marido, carinhosamente, chamado de Cowboy.

Foram seis meses longes um do outro. O relacionamento de dois anos chegou ao fim quando ela decidiu voltar à cidade natal (Cascavel - PR), depois de morar por uma temporada em Marabá, no Pará, onde a história de amor teve início.

Nesta semana, uma conversa colocou fim a aflição e os dois decidiram provar um ao outro o quanto se amam. Com a ajuda de amigos a noiva alugou uma van e resolveu que casaria no aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, onde o noivo programou desembarcar de viagem, nesta sexta-feira (31).

E o que a mãe da jovem achou dessa idéia?

“Loucura! Mas quero apenas que ela seja muito feliz, pois amo demais minha filha”, afirma dona Genoveva Gnoatto.

“Eu e minha mãe somos muito parceiras, sempre fomos e eu a amo demais também”, retribui a filha Grazielle Gnoatto.

Com o consentimento da família, só restava à noiva reunir os amigos e seguir rumo ao encontro do grande amor da vida dela.

No percurso de Cascavel a Foz do Iguaçu, mais ou menos 150 km, a noiva não escondia a ansiedade e as expectativas do reencontro.

“Meu coração está acelerado, tudo está acelerado, a mil por hora”, diz a noiva.

Nem mesmo com alguns imprevistos, como o atraso da van, por exemplo, poderiam atrapalhar mais uma vez a história de amor.

“Foram vários imprevistos, mas faz parte da programação da noiva. Vai valer a pena”, afirma Grazielle.

O sol aos poucos foi se pondo e a ansiedade da noiva, dos amigos e até da nossa equipe, que seguiu viagem junto com o grupo, só aumentava.

Em fim chegamos à terra das cataratas.  No aeroporto estava o Cowboy, sentado sobre o carrinho de bagagens e com cara de quem já não aguentava mais esperar.

A equipe da CGN simulou uma entrevista com ele, tudo combinado para os minutos seguintes, momento mais feliz da vida dos dois jovens.

Eis que a noiva surge no terminal de passageiros, ao som da marcha nupcial tocada por um dos amigos com um saxofone.

Da bota, o Cowboy retira as alianças e de um jeito bem rústico confirma os votos do matrimônio. A cena emocionou quem estava no aeroporto e pode acompanhar um casamento bem diferente dos tradicionais. No rosto dos recém casados as lágrimas de emoção e o olhar de uma certeza: o amor que um sente pelo outro.

A cerimônia foi organizada em menos de 24 horas, por isso não foi possível tempo hábil para um juiz de paz, ou um padre que realizasse o casamento, mesmo assim os noivos trocaram alianças no saguão do aeroporto de Foz do Iguaçu e prometem oficializar a união.

“Sem ele não tem vida. Até tentei sobreviver nesses seis meses, mas não tem como, era sem graça. Ele é minha vida”, declara apaixonada a noiva.

“Pode acontecer mil vezes, pois vale a pena e muito, tudo muito bom”, diz o noivo, Elvis Juscelino Oliveira de Almeida, que viajou mais de quatro mil quilômetros do Pará ao Paraná.

Para os amigos que ajudaram a organizar a loucura, a certeza de dever cumprido e os votos de felicidades.

“Ela me ligou hoje de manhã, perguntando o que eu faria a tarde. Pedi porque e ela disse que iria casar, fiquei surpreso. Ela me pediu para que eu trouxesse o saxofone para tocar. Foi uma loucura, mas uma alegria grande de participar e ajudar na vida dos dois”, conta um dos amigo da noiva, Marcos Silva.

Felicidades que a melhor amiga Ana Paula tem certeza que existirá por muito tempo entre Grazielle e Elvis, pois ela acompanhou de perto a história de amor e pediu a ajuda da CGN, por meio do Facebook, para registrar o momento.

“É um casal que se ama demais, vocês estão vendo a loucura. Não é todo mundo que faz uma loucura de amor assim. Ela é minha amiga desde a infância, nos criamos juntas e por isso eu faço e faria tudo de novo por ela”, afirma a melhor amiga que ajudou a produzir a surpresa, Ana Paula Hoffmann.

“Pode passar o tempo que for e não vai se apagar o que aconteceu aqui. Eu fiz isso e ele aceitou também. Foi uma prova de amor de ambas as partes. Quem faz isso é só quem ama de verdade”, finaliza a noiva.

“E quem é doido mesmo”, complementa o noivo, confirmado pela esposa.

Carregar mais notas ao vivo
61 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário