• Alexandre Moura
  • Radar B.O.

22 Setembro 2012 | 15h10min

A dona de casa Geni de Oliveira, 40 anos, moradora de Toledo, no Oeste do Paraná, está vivendo um drama e corre risco de morte. Há dois meses ela descobriu que tem uma agulha alojada na coluna.

Segundo Geni, “é difícil saber a origem da agulha”, pois ela não passou por nenhum procedimento recente e nem mesmo tomou uma injeção.

O único fato lembrado pela família é uma cesariana feita há cerca de sete anos, quando nasceu o último filho dela.

Agora a família tenta uma cirurgia para retirada da agulha, mas não consegue.

Segundo informações do site Radar B.O, de Toledo, o médico constatou que a agulha está alojada muito próxima ao pulmão, o que poderá perfurá-lo e até causar a morte de Geni.

A família da dona de casa resolveu procurar a imprensa para denunciar o caso e pedir ajuda.

A cirurgia, segundo os familiares pode ser feita em Cascavel (PR) – distante 40 quilômetros de Toledo – e só depende de uma autorização das autoridades do setor de Saúde.

Carregar mais notas ao vivo
31 comentários
Lo 25/09/2012 20:27h
0
1
e oque tao esperando meu deus? Responder este comentário
anoyinger@hotmail.com 25/09/2012 17:15h
2
1
Detalhe é que além de estar de cabeça pra baixo, isso é uma tomografia computadorizada com reconstrução 3D, hehehe. Responder este comentário
Ricardo 25/09/2012 17:14h
0
1
Parabéns Gilson pela explicação, também acredito que está havendo muito sensacionalismo em torno desse caso. Algo desnecessário. Possivelmente se valerão do caso para a corrida eleitoral.. Em resposta a gilson (Exibir comentário)
reginaldo rossi 25/09/2012 17:13h
0
1
o loco meu! isso é coisa do centro de umbanda mesmo chico xavier explica...nos minimos deltalhes Responder este comentário
Alvaro 25/09/2012 17:10h
0
1
Pela imagem a agulha parece estar dobrada. Foi algum procedimento com introdução de agulha e dificultada a retirada da mesma. Com a retirada da mesma e sua identificação poderá ser possível deduzir qual foi o procedimento. Cordialmente, Médico do Trabalho. Responder este comentário
Envie seu comentário