Últimas de Cotidiano
  • Há 35 Minutos Pai faz alerta após choro da filha ajudar a detectar doença grave
  • Há 37 Minutos Ladrão tem surpresa ao tentar roubar carro com casal fazendo sexo dentro
  • Há 2 Horas Vídeo flagra pai abandonando recém-nascido em estacionamento de shopping
  • Há 2 Horas Homem é preso após ter cocaína roubada e chamar a polícia
  • Há 2 Horas Avô é preso por abusar da neta com autismo
  • Há 2 Horas Professora é suspensa após dar 'estrela' sem roupas de baixo na frente de alunos
  • Há 2 Horas Brinquedo desaba e fere 11 em parque de diversões
  • Há 2 Horas Vizinho encontra homem morto embaixo de chuveiro
  • Maycon Corazza
  • Gazeta 24 horas

24 Agosto 2012 | 09h45min

Uma criança de nove anos foi encontrada pela Polícia Militar acorrentada em casa, ontem (23), em um bairro de Santo Antônio da Platina, na região Norte do Paraná. O menino estava sozinho e a corrente, com cerca de 2 metros, com cadeados, prendia a criança à sua cama.

O garoto não tinha comida, água ou banheiro ao seu alcance, e segundo apurou-se os pais o deixavam assim quando saiam para trabalhar. A mãe trabalha no comércio e o padrasto é mecânico. Os policiais chegaram até a casa depois de denúncias anônimas. Eles usaram uma serra para romper a corrente e libertar o menino.

O garoto foi encaminhado ao Conselho Tutelar da cidade, onde foi atendido. Os pais da criança foram identificados e encaminhados à delegacia. Em depoimento à polícia, o padrasto e a mãe do menino disseram que tomaram a decisão de acorrentar a criança porque, apesar da idade, a criança estaria envolvida com o consumo e o tráfico de drogas na região onde vivem. Segundo o casal, esta foi a primeira vez que a criança ficou acorrentada. O casal tem ainda outros três filhos, mas que não estavam na casa no momento em que a polícia chegou.

O Conselho Tutelar de Santo Antônio da Platina disse que o menino sofre de problemas psicológicos e já teve dezenas de passagens pelo órgão. O garoto chegou a morar em um abrigo, porque a mãe não tinha condições de cuidá-lo.

O casal foi liberado pela Polícia Civil depois de assinar um termo circunstanciado. Apesar do ato, a criança voltou com os pais para casa.

Carregar mais notas ao vivo
323 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário