• Mariana Lioto
  • CGN

13 Setembro 2017 | 11h33min

Desde 2013 comenta-se no meio político sobre a existência de um vídeo onde o ex-vereador João Paulo receberia dinheiro do ex-secretário de Desenvolvimento Econômico Luciano Fabian. A situação ocorreu em 2013 durante a gestão de Edgar Bueno, é investigada há vários anos e já gerou um processo de improbidade. Na última semana O MP ofereceu denúncia na esfera criminal contra João Paulo e Fabian, tendo este vídeo como principal prova.

Segundo o promotor Sérgio Machado, o vídeo chegou ao MP no final do ano passado e foi gravado pelo próprio Fabian. Ele entrega dinheiro a João Paulo e falam em “3 contos” (R$ 3 mil) que teria sido acordado anteriormente para o apoio do vereador nas situações de interesse da administração. Fabian é acusado de corrupção ativa e João Paulo de corrupção passiva. 

Fabian chega a falar que “política é assim mesmo” e dizer que já houve o pagamento a outros dois vereadores, sem nominá-los. O vereador é orientado que precisaria votar a favor da gestão em alguns momentos e que receberia benefícios nas secretarias diante das possíveis solicitações como vereador.

“Buscamos resgatar o contexto político da época. Naquele período João Paulo havia votado contra a criação de 265 cargos em comissão. Além disso havia sido entregue o relatório da CPI das Pedras [que apurou o desvio de material de um trecho da br-163] e cuja responsabilidade era apontada para o então vice-prefeito, Maurício Teodoro, que era do mesmo partido de Fabian”.

O MP acredita que o vídeo foi gravado como forma de chantagem e "saiu do controle". Segundo o promotor, não é possível provar que houve outros repasses de propina e outras pessoas envolvidas na corrupção, mas o período dos fatos aponta que há ligação entre o pagamento feito por Fabian e a existência do vídeo como objeto de chantagem e a postura de João Paulo tanto no caso da CPI das Pedras contra no comissão que apurou o pedido de propina do vereador Paulo Bebber. Mesmo com uma gravação onde o pedido de “500 paus” para aprovação do Riviera foi feito, Bebber acabou inocentado internamente na Câmara.

A promotoria chegou a ouvir Fabian e João Paulo. O vereador disse que o dinheiro que aparece nas imagens tratava-se de um empréstimo.

O Ministério Público segue com a apuração para tentar provar se existia uma espécie de “mensalinho” envolvendo outros vereadores, secretários e até mesmo o ex-prefeito Edgar Bueno.

“O nome de Edgar Bueno só é citado indiretamente, no contexto da sucessão política. O vídeo dá a atender que houve um encontro anterior onde o esquema foi acertado. Nossas apuração continua para buscar provas contra outros possíveis envolvidos”.

Na denúncia já apresentada, o próximo passo é a aceitação ou rejeição por parte da Vara Criminal. Se a denúncia for aceita Fabian e João Paulo serão intimados a apresentar defesa. 

Carregar mais notas ao vivo
23 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário