Últimas de Cotidiano
  • Há 1 Hora Brasil condecora Medicina Legal da Colômbia
  • Há 4 Horas Seminário discute tráfico de pessoas no Paraná
  • Há 4 Horas Preço do leite para julho deve ter redução ao produtor
  • Há 5 Horas Guarda Municipal recupera veículo Fiat Uno furtado
  • Há 5 Horas Homens são presos após furtar objetos de veículo
  • Há 6 Horas Câmeras registram 'racha' de cavalos
  • Há 7 Horas Homem com mandado de prisão é detido no Fórum
  • Há 7 Horas Suspeito de matar açougueiro é preso por tráfico de drogas
  • Maycon Corazza
  • Agência Brasil

17 Julho 2017 | 11h22min

O mercado financeiro diminuiu mais uma vez as projeções para a inflação deste ano e de 2018. A expectativa para o Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2017 passou de 3,26% para 3,08%, e para o próximo ano, de 4,31% para 4,19%. É a quinta queda seguida.

As projeções permanecem abaixo do centro da meta de inflação, que é 4,5%. As estimativas foram divulgadas hoje (17) pelo boletim Focus do Banco Central, em Brasília.

Para as instituições financeiras, a taxa Selic encerrará 2017 e 2018 em 8% ao ano, indicando uma redução em relação ao último levantamento, de 8,25%. Atualmente a taxa está em 10,25%. A Selic é um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e, consequentemente, a inflação.

Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a Selic, a meta é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Já estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, ficou estável em 0,34%, em 2017. Para 2018, manteve-se em 2%.

Em relação à produção industrial, o mercado aponta melhora, segundo o Focus. As projeções de crescimento passaram de 0,84%, na última consulta, para 0,97% este ano. A expectativa para 2018 ficou estável em 2,30%.

Carregar mais notas ao vivo
Envie seu comentário