• Mariana Lioto
  • CGN

29 Junho 2017 | 16h43min

O cascavelense já pagou este ano R$ 8,997 milhões em taxa de iluminação pública. O desembolso, no entanto, não é garantia de ter o poste aceso na rua de casa.

Uma moradora da Rua General Osório, no Parque São Paulo conta que já fez dois protocolos no 156 para tentar que a lâmpada do poste em frente à casa dela fosse consertada. O pedido foi feito há 20 dias e até agora nada.

“A prefeitura responde dizendo que já encaminhou o pedido. Enquanto isso, continuo pagando a taxa publica de iluminação, mas como consumidora, não estou recebendo retorno disso”, reclama.

Na Rua Emílio Médici, no Presidente, a espera é ainda maior.

“Já liguei várias vezes no número 156 sempre falam que vão mandar arrumar más até ágora não resolveram o problema. Estou sem luz na minha rua desde janeiro, e o pior: pagando iluminação pública todo mês.

As internautas preferiram não ser identificadas.

A CGN perguntou para o município quantos pedidos de reparo foram feitos via 156, mas a prefeitura não respondeu. Sobre o tempo médio de espera para conseguir o reparo, a resposta foi vaga:

“Assim que o 156 recebe as reclamações, encaminham para as secretarias competentes. Logo, quando a Secretaria de Obras recebe a notificação e havendo no estoque os materiais para o conserto, realiza os reparos necessários”.

Parte das reclamações devem estar relacionadas à falta de alguns dos materiais necessários para o reparo. Não foram detalhados quantos itens estão em falta. A licitação para a compra está marcada para o dia 19 de julho e, considerando, prazos de recurso e assinatura de contrato, é impossível que o material seja entregue antes de agosto.

A licitação é bastante ampla: o valor máximo é de R$ 9.615.317,30, prevendo uma série de materiais a serem utilizados em 12 meses. Como se trata de um registro de preços, o município faz o pedido de cada peça conforme necessidade.

Carregar mais notas ao vivo
4 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário