Últimas de Cotidiano
  • Há 2 Horas Uma pessoa se fere em colisão entre Golf e Yamaha R3
  • Há 3 Horas 'Se vagabundo tentar tomar minha arma, vou meter bala', ameaça filho de Bolsonaro
  • Há 5 Horas Bolsonaro é atingido por ovo em cafeteria de Ribeirão Preto
  • Há 6 Horas Ao fugir da polícia, condutor de Golf atropela pedestre
  • Há 6 Horas Brasileiro que presenciou ataque critica polícia de Barcelona
  • Há 6 Horas Homem dirige até hospital com prego cravado no coração
  • Há 6 Horas Caminhão furtado é recuperado em Guaíra
  • Há 7 Horas Adolescente morre em acidente entre carro e moto
  • Mariana Lioto
  • Correio 24 Horas

19 Junho 2017 | 10h34min

A comerciante Albina Pereira da Silva, de 51 anos, está em estado grave, após ter tido o corpo todo queimado com ácido pela ex- nora, Ísis Janaína de Jesus, que não teve a idade informada. O ataque ocorreu na manhã do último sábado (17), por volta das 9h50, na loja da vítima, em Nova Brasília de Valéria, na Bahia.

Durante o ataque, a agressora acabou se queimando também e precisou ser hospitalizada. A vítima foi socorrida por comerciantes vizinhos para o Hospital do Subúrbio e, de lá, transferida para o Hospital Geral do Estado (HGE). A agressora também foi levada para a unidade.

Segundo informações do posto policial do HGE, o ataque foi a forma que Ísis encontrou de vingança porque o filho de Albina terminou o relacionamento com ela. Ainda de acordo com informações do posto policial, a agressora ligou antes de atacar a vítima com ácido para informar que estava indo ao local se vingar.

Comerciantes vizinhos do estabelecimento da vítima contaram que a agressora aparenta ter entre 20 e 22 anos, que ela não era muito conhecida na área e que só ia ao local com o namorado. Testemunhas contaram ainda que ela chegou a comércio da vítima de carro e cumprimentou os lojistas do lado. Eles informaram ainda que a ação toda durou cerca de cinco minutos.

A funcionária de uma loja que fica do lado do comércio da vítima, Santos Siqueira, 51 anos, conta que, na saída, Ísis ainda bateu com o carro em mais três veículos e quase atropelou algumas pessoas. 

"Quando saí da loja achei que tivesse sido um tiro, uma facada, ou algo do tipo. Ajudei a socorrer e levar ela até o banheiro", disse.

Ao ouvir os gritos de dona Albina, os comerciantes correram para ver o que tinha acontecido e a encontraram agonizando, com a roupa derretendo. Foi então que a levaram para um bar e a colocaram embaixo do chuveiro para tirar a substância do corpo dela. Em seguida, a levaram para o Hospital do Subúrbio.

"Escutei os gritos de dentro da lanchonete e fui correndo ver o que era. Quando cheguei lá, vi a roupa dela rasgada e o corpo ferido. Levei ela para o banheiro da minha lanchonete e dei um banho. Depois pedi que os comerciantes do lado arranjassem um carro para levá-la a um hospital", contou o proprietário, Edval Santos, 53 anos.

Os comerciantes lamentaram o ocorrido e informaram que a vítima já possui o estabelecimento no local há cerca de três anos.

"Dona Albina é muito querida aqui, não procura problema com ninguém. Mas a menina a gente não conhecia muito, embora sempre viesse aqui com o namorado", ressaltou Siqueira.

As informações são do Correio 24 Horas.

Carregar mais notas ao vivo
Envie seu comentário