• Maycon Corazza
  • AEN

30 Maio 2017 | 16h02min

Um homem de 28 anos foi preso na noite de segunda-feira (29), no bairro Tatuquara, em Curitiba, após diligências do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), suspeito de participação na morte de uma agente penitenciária federal e na tentativa de homicídio de um policial civil. O crime ocorreu na quinta-feira (25), em Cascavel, região Oeste do Estado. 

O Cope recebeu denúncias anônimas relatando que um homem suspeito de participação no crime estava escondido na cidade de Três Barras (50 km de Cascavel). Durante as diligências na cidade, a equipe policial constatou que o homem havia deixado a cidade a pouco tempo.

Seguindo as pistas, a equipe foi até Cascavel, onde realizaram buscas em hotéis da cidade, porém nada foi encontrado. Ao retornar para a capital, os policiais receberam outra denúncia, onde seguiram até o bairro Tatuquara. No local se depararam com o suspeito em frente a uma residência onde apresentou um documento falso aos policiais. 

Além do homem, a polícia apreendeu um carro HB20 prata, possivelmente utilizado no dia do crime. “Há fortes indícios da participação dele no crime. Vamos comunicar a delegacia responsável pelas investigações envolvendo o casal, para que outras provas sejam anexadas ao inquérito policial”, afirmou o delegado-titular do Cope, Rodrigo Brown.

Durante a ação, um casal também foi encaminhado para delegacia, suspeitos de ajudar Carvalho a fugir de Cascavel. O casal assinou um Termo Circunstanciado (TC) por favorecimento pessoal e foi liberado. Eles que dirigiram o HB20 de Cascavel para Curitiba. 

De acordo com a polícia o suspeito foi autuado em flagrante por uso de documento falso, além de cumprir um mandado de prisão por tráfico de drogas (condenado a oito anos de prisão) que estava em aberto. O homem também possui passagem policial por porte ilegal de arma de fogo, roubo e receptação de veículo. Ele está à disposição da Justiça.

CRIME – A agente foi morta na noite de quinta-feira (25), no bairro Canadá, em Cascavel, quando um grupo de criminosos desferiu diversos disparos de arma de fogo contra a casa da servidora, que foi baleada. Seu marido, um policial civil de Cascavel foi atingido por vários disparos de pistolas 9mm. Ele foi socorrido e encaminhado em estado grave ao hospital. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. 

A polícia acredita que o casal tenha sido vítima de um crime encomendado em razão da função exercida por ela no Departamento Penitenciário (Depen). O crime aconteceu quando eles chegavam em casa. O policial reagiu e acabou baleado um dos suspeitos que também morreu, além de ferir outro. A mulher do policial era psicóloga e atuava na Penitenciária Federal de Catanduvas, cidade vizinha de Cascavel, desde 2009.

Carregar mais notas ao vivo
19 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário