Últimas de Cotidiano
  • Há 1 Hora Colisão frontal deixa três mortos e um ferido
  • Há 3 Horas Capotamento deixa um morto na PR-466
  • Há 4 Horas Homofobia contra garçonete gera revolta
  • Há 4 Horas Procon lista sites perigosos para os consumidores
  • Há 4 Horas Mulher é presa depois de espancar o filho com galho de árvore
  • Há 4 Horas Ladrões invadem posto de combustíveis e furtam cigarros e uísque
  • Há 5 Horas Populares jogam moto de assaltante em córrego
  • Há 5 Horas Corpo de homem desaparecido é encontrado após 9 meses
  • Luiz Padilha
  • Leia Já

19 Maio 2017 | 18h24min

Na manhã desta sexta-feira (19), a delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH) apresentou a prisão de Leonice Moreira de Sousa, de 23 anos, suspeita de matar José Paixão dos Santos, de 59 anos, durante uma briga de bar no Jardim Europa, em Goiânia.

De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi alvejada por engano porque a mulher é estrábica, ou seja, possui uma doença ocular que desalinha os olhos e compromete a visão.

O crime aconteceu no dia 11 de março deste ano e durante as investigações, a polícia constatou que o delito teve início a partir de uma briga de bar entre duas mulheres motivada por ciúmes de um ex-companheiro.

Leonice Moreira e seu irmão, Maico Douglas Sousa, 26 anos, utilizaram duas armas de fogo e começaram a atirar em direção a outra mulher.

Segundo informações do delegado que presidiu as investigações, Dannilo Proto, Leonice alvejou José Paixão dos Santos, que estava do outro lado do bar e não tinha qualquer envolvimento com a discussão. A autora mirou em direção diversa à que se encontrava a pessoa que desejava atingir de fato com o disparo. A vítima veio a óbito no local.

Durante seu depoimento, a suposta autora dos disparos negou o crime. Ela informou que não atirou contra a vítima e que o autor dos disparos foi o irmão. Maico foi preso no último dia 12 de maio e confessou o crime. Ele confirmou a versão da irmã e assumiu a autoria do disparos.

Para a Polícia Civil, no entanto, os dois irmãos efetuarm os disparos. O delegado informou à imprensa local que a perícia já comprovou o envolvimento de Leonice no homicídio por engano. Dannilo Proto disse ainda que os dois irmãos vão responder por homicídio qualificado e devem cumprir pena de 12 a 30 anos, caso sejam condenados.

As informações são do porta Leia Já.

Carregar mais notas ao vivo
Envie seu comentário