• Fábio Wronski
  • UOL

21 Abril 2017 | 08h08min

Em setembro de 2016, o cancelamento de novos intercâmbios para a graduação pelo Ciência sem Fronteiras já havia sido revelado. E a notícia foi um baque para muitos estudantes, dentre eles Alexandry Donin, 21, estudante de engenharia elétrica da Unifap (Universidade Federal do Amapá), que sempre sonhou em ter a oportunidade de estudar fora do país. Mas Donin não desistiu, conseguiu ser aprovado em uma vaga e agora criou uma campanha online para arrecadar dinheiro para estudar na Universidade de Oxford.

"Logo que entrei na faculdade, decidi que tentaria o programa. Participei no primeiro ano, mas não passei. Logo depois ele foi inativado para a graduação e passei a procurar outros métodos para realizar o meu sonho de ter um intercâmbio acadêmico para complementar minha formação", contou em entrevista.

O estudante, que está no sétimo semestre da Unifap, encontrou algumas universidades que oferecem auxílio para estudantes estrangeiros e se inscreveu nos processos seletivos, dentre eles o da Universidade de Oxford. "Me inscrevi em outubro do ano passado e tinha três fases. A primeira foi uma carta de até 1.000 palavras falando sobre o meu diferencial e por que deveriam me escolher. A segunda etapa consistia em gravar um vídeo de três a cinco minutos e a última etapa foi uma entrevista com uma representante da universidade via Skype".

Aprovação no processo seletivo

No dia 1º de abril, Donin recebeu a notícia: foi aprovado para estudar na instituição com bolsa parcial de 90%. "Foi uma conquista, algo inimaginável... A gente pensa que tudo está tão distante. Se a gente lutar e batalhar pelos nossos sonhos, a gente ganha o mundo e consegue tudo", fala o estudante, que cita que a Universidade de Oxford é considerada a melhor do mundo, segundo o Ranking Mundial de Universidades da Times Higher Education.

Para que o jovem conclua a graduação na faculdade estrangeira, ele criou a campanha online para arrecadar R$ 20 mil para custear passagem, seguro viagem obrigatório, hospedagem, alimentação e transporte. "A libra esterlina custa cerca de R$ 4,20, então, mesmo com a bolsa de 90%, tudo fica astronômico. Minha família não tem condição de me manter lá com todos os custos de taxas universitárias, acomodação e alimentação. Por isso, decidi criar a vaquinha. Também estou vendendo rifas, tortas e bolos na faculdade para levantar o dinheiro necessário".

Donin precisa se apresentar na universidade em julho quando as aulas do "Curso de Verão" começam. "Dura um mês e é o período em que eles apresentam a universidade, a metodologia, fazem a comprovação do inglês e o nivelamento de disciplina específicas. É nesse período que tenho a chance de converter minha bolsa parcial para integral. Tudo depende do meu desempenho, então, durante esse período vou dar o meu melhor para conseguir alterar a bolsa”.

Realização de um sonho

Mesmo com prazo curto para arrecadar o montante, Donin não desanima de conseguir realizar seu sonho. Ele já tinha tentado ingressar duas outras ocasiões em uma universidade estrangeira. “É a realização de um sonho. Sempre quis estudar em Oxford ou no MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), que são referências na área de engenharia. Às vezes a gente pensa que tudo está muito distante, mas é preciso correr atrás”.

Donin está acostumado a correr atrás do que quer. Ele faz estágio na parte da manhã, à tarde cursa engenharia elétrica na Unifap e à noite faz engenharia civil em uma universidade particular. “Chego em casa depois das 23h, repasso todos os conteúdos ministrados nas duas graduações e só depois que vou dormir. É bem corrido”.

Mas para a estudante toda essa correria valerá a pena. “Hoje tudo isso é um grande sacrifício, mas depois vai valer a pena, meu esforço será recompensando quando conseguir ajudar meus pais”.

Com informações UOL.


Carregar mais notas ao vivo
Envie seu comentário