Últimas de Cotidiano
  • Há 18 Minutos Justiça determina que MST saia de fazenda de ex-presidente da CBF
  • Há 24 Minutos Polícia prende trio suspeito de aplicar golpe do bilhete premiado
  • Há 29 Minutos Moradora de rua sofre estupro coletivo
  • Há 30 Minutos Colisão deixa mulher ferida em Marechal Cândido Rondon
  • Há 32 Minutos CNJ analisa se desembargadora interferiu em soltura de filho
  • Há 33 Minutos 'Pente fino' na cadeia resulta na apreensão de celulares, drogas e objetos diversos
  • Há 1 Hora Governo do Paraná devolveu quase R$ 600 milhões a contribuintes
  • Há 1 Hora BPFron recupera carro antes do proprietário perceber furto
  • Mariana Lioto
  • Diário de Franca

09 Março 2017 | 10h55min

A Polícia Civil de Franca ouviu ontem a técnica de enfermagem que teria aplicado o medicamento errado que causou a morte da fotógrafa Zélia Lúcia Barbosa Moreira, 46 anos, em janeiro na Santa Casa.

Ela confirmou ser responsável pela aplicação, mas alegou que o remédio errado teria sido entregue por outro funcionário. Também pediu desculpa à família da fotógrafa pelo ocorrido. “Nenhuma punição vai ser maior que minha consciência”, disse em entrevista.

À polícia, ela também apontou uma série de falhas que teriam ocorrido. O delegado do 1º Distrito Policial de Franca, Luís Carlos da Silva, diz que ouvirá outras testemunhas e que o inquérito será finalizado em pouco tempo.

Funcionários da Santa Casa já haviam prestado depoimento à polícia e, segundo o delegado, confirmaram que a troca de medicamentos foi a causa da morte. Zélia Lúcia foi até a unidade de saúde para ser submetida a um tratamento para disfunção renal quando sofreu convulsões e uma parada cardiorrespiratória.

As informações são do Diário de Franca.

Carregar mais notas ao vivo
4 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário