• Redação CGN

16 Fevereiro 2017 | 16h41min

Na busca por curtidas, visualizações e compartilhamentos, o Facebook oferece aos seus usuários a possibilidade de aparecer mais. São as publicações patrocinadas, onde o usuário paga para que a Rede Social mostre a determinado público seu vídeo, foto ou link. Esta estratégia vem sendo utilizada pelo prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos.

Não foi difícil identificar várias publicações feitas pelo prefeito nas últimas semanas que foram pagas para aparecer mais, já que quando a exibição é financiada, o Facebook exibe o termo “patrocinado” no topo do anúncio. Ele tem feito muitas transmissões ao vivo pela rede social durante o trabalho e são estas publicações que Paranhos paga para serem mais vistas.

Na página pessoal de Paranhos, entre os vídeos mais vistos estão alguns que tiveram campanha patrocinada. O vídeo onde ele aparece pintando meio-fio no Bairro Interlagos, por exemplo, publicado há duas semanas, foi visto por mais de 37 mil pessoas. Enquanto isso, na página da prefeitura, sem o patrocínio, o vídeo de maior alcance teve 3 mil visualizações.

É fato que cada pessoa tem direito a publicar o que bem entender em sua rede social. No caso de Leonaldo Paranhos, no entanto, as publicações ocorrem enquanto ele está na função de prefeito da cidade e muitas vezes quem faz as filmagens são funcionários públicos, que naquele momento estão gerando conteúdo para a página pessoal do prefeito e não produzindo para o portal do Município. Vale lembrar que a legislação orienta os agentes públicos ajam com impessoalidade.

Desde ontem (15) a CGN tentou contato com o prefeito para saber qual foi o valor gasto com as postagens patrocinadas desde janeiro e também questionar se o recurso é pessoal ou vem do Município, mas não conseguimos conversar com Paranhos.

Pessoal ou pública?

É interessante perceber que nesta gestão as publicações sobre as ações estão mais concentradas na página pessoal de Leonaldo Paranhos do que na página da Prefeitura de Cascavel. Desde janeiro Paranhos fez mais de 120 transmissões ao vivo e de 1º de fevereiro até hoje foram 74 publicações diversas.

No mesmo período a página oficial da Prefeitura de Cascavel fez 58 publicações – várias compartilhando conteúdos da página pessoal do prefeito - e de janeiro até agora foram só 24 vídeos na página, vários também são compartilhamentos a partir da página pessoal de Paranhos.

Quanto custa?

Quem anuncia no Facebook paga em dólar e a regra é simples: quanto mais dinheiro, mais visibilidade. Quem anuncia pode escolher o público alvo por local, idade ou pessoas que já curtiram a página.

É possível fazer anúncio com orçamento a partir de R$ 3, mas com este preço o Facebook estima alcançar apenas entre 410 e 1.100 pessoas. Quando se paga R$ 100, por exemplo, o anúncio deve ser exibido para um grupo de 20 mil pessoas, no mínimo. Se o valor aumentar para R$ 500 a previsão é atingir pelo menos 67 mil pessoas, o que não significa que, necessariamente, todos clicaram no conteúdo.

Multa

Quando era deputado estadual e candidato à prefeitura de Cascavel, Paranhos já tinha o hábito de fazer este tipo de publicação. Em agosto passado, inclusive, recebeu uma multa da justiça eleitoral, justamente por fazer propagandas patrocinadas durante a campanha. Na época o juiz entendeu que o anúncio patrocinado no Facebook suprimia o caráter democrático da rede social e feria a isonomia entre os candidatos, já que aquele que tiver maior poder financeiro poderia pagar para que suas publicações fossem mais vistas. A multa foi de R$ 5 mil. 

Carregar mais notas ao vivo
54 comentários
DECEPCIONADO 2 18/02/2017 22:46h
0
0
Basta ver quanto ganha os adm. da câmara. Por lei deveria ser equiparados porem a prefeitura paga muito menos. Em resposta a Decepcionado (Exibir comentário)
Redes sociais 17/02/2017 19:05h
5
6
Tem que usar as redes sociais mesmo, prestar contas e dialogar. é um investimento barato e com forte capilaridade.Que besteirol questionar. Responder este comentário
jose cuervo 17/02/2017 17:53h
5
5
Ta certo ele, mostrando o que faz, quanto que a CGN recebeu para fazer essa matéria? duvido que foi de espontânea vontade kkkkkkkkkkkkkkkkkk Responder este comentário
Gluglu 17/02/2017 15:58h
4
2
Rsrsrsrsrsrsrs Juliooo vc só quer uma teta p mamar seu leitão !!! Em resposta a Julio Cesar Fernandes (Exibir comentário)
Observadora 17/02/2017 15:07h
2
1
Seria necessário caso fosse um ato público, custeado por dinheiro público... O que não é o caso, todos podem reclamar, mas com conhecimento! Em resposta a Juca (Exibir comentário)
Envie seu comentário