Publicado em 10 de Janeiro de 2017 às 18h43min

Vida de luxo faz polícia chegar a baronesa do tráfico

Polícia estima que a traficante movimentava cerca de meio milhão por mês...
  • Investigação Mariana Lioto Assessoria
  • Imprimir
  • Diminuir Fonte Aumentar Fonte

Uma operação realizada pela equipe da Delegacia Especializada em Tóxicos e Entorpecentes (Deten) desarticulou, na noite de ontem (9), uma organização criminosa formada por jovens de classe média que fornecia drogas para traficantes da Grande Vitória e no Norte do Estado.

Durante a operação, denominada “La Baroneza”, foram detidos três homens e uma mulher, de 26 anos, também conhecida como “Baronesa”, e apontada como a principal distribuidora de maconha na região e líder da organização criminosa aqui no Estado. Ela foi detida quando chegava ao apartamento de um rapaz, de 25 anos, no bairro Colina de Laranjeiras, no município de Serra.

“Ela ostentava uma vida de luxo, com viagens e carros valiosos que foram adquiridos com dinheiro proveniente do tráfico de drogas. Durante as investigações, que duraram 45 dias, descobrimos que ela fazia cerca de quatro viagens, por ano, para o Paraguai, a fim de buscar maconha para revender aos traficantes”, afirmou o responsável pela prisão, delegado Augusto Giorno.

O delegado disse também que “Baronesa” possuía uma rede de contatos muito grande.

“Ela fazia essas viagens há, pelo menos, quatro anos e vendia cerca de 200 quilos de maconha por mês, movimentando aproximadamente R$ 500 mil”, contou.

Já R.A.M. foi preso dentro do estacionamento de um supermercado localizado no bairro Laranjeiras, no momento em que ele vendia cinco quilos de maconha para W.L.S.S., de 20 anos, e L.H.J., de 21 anos, que também foram detidos.

Augusto Giorno informou, ainda, que a mulher já possui passagens pela Polícia do Paraná por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Os detidos foram autuados por tráfico e associação para o tráfico e podem pegar até 25 anos de prisão. 

Anúncios:
3 comentários
Observador 11/01/2017 14:48h
0
0
vendia 200 kg mensalmente por 500 mil. Que negócio caro, sô... 2.500,00 por quilo?... E tem trouxa que paga tudo isso para ainda levar fumo? Responder este comentário
rca 11/01/2017 14:05h
0
0
A impunidade é a origem dos males que atravessamos: políticos, funcionários, juízes, assassinos, traficantes... Todos, bandidos impunes. Responder este comentário
rca 11/01/2017 14:01h
1
0
Aposto que nossos INdigos juízes soltarão a "coitada" loguinho, com base em uma centena de petições de advogados regiamente pagos. Responder este comentário
Envie seu comentário