• Mariana Lioto
  • CGN

09 Janeiro 2017 | 16h13min

Cascavel tem 61 escolas municipais. Na avaliação da nova gestão da Prefeitura, 30 precisam de obras de reforma, ampliação ou reconstrução. Em diagnóstico apresentado hoje pela secretária de Educação, Marcia Aparecida Baldini, 15 foram apontadas como prioritárias, por terem obras inacabadas, por estarem há muitos anos sem reforma ou porque não atendem mais a demanda da comunidade.

Segundo o Município, duas unidades - a Ita Sampaio, no Parque Verde e a José Henrique Teixeira, no Morumbi - sequer têm condições de receberem os alunos no próximo dia 6 de fevereiro. O orçamento deste ano da educação é de R$ 243 milhões, mas, deste valor, apenas R$ 22 milhões seriam destinados a obras e manutenção.

Algumas das obras já foram licitadas ou estão em andamento, mas o Município afirma que nem todas têm recursos previstos em orçamento.

O prefeito Leonaldo Paranhos afirmou que os cortes feitos em outras secretarias objetivam trazer recursos para Educação e Saúde. Além disso, os gestores pretendem buscar verbas estaduais e federais para as obras.

"O diagnóstico nos assusta. O risco é que a criança não tenha vontade de estudar devido às condições precárias da escola. Nossa prioridade e ter professor, luz, água, alimento. Peço o esforço pessoal de cada pessoa da gestão para nos dois primeiros anos conseguirmos melhorar o quadro de infraestrutura.

Durante a apresentação a secretária chegou a afirmar que algumas escolas têm estrutura que mais lembram prisões ou aparentam não ter sido pintadas desde a época do prefeito Fidelcino Tolentino, que deixou a prefeitura em 1996.

Veja quais são as 15 escolas apontadas como prioritárias para receberem investimento de infraestrutura:

 

1 - ESCOLA ITA SAMPAIO – Bairro Parque Verde


A obra em andamento foi abandonada e o custo da conclusão é estimado em R$ 2,5 milhões. O orçamento deste ano não prevê verba específica para esta obra. O município entende que não há condição de iniciar o ano letivo no espaço.

 

2 - ESCOLA PROF. ADEMIR CORREA BARBOSA – Bairro Parque dos Ipês


A obra iniciada em 2014 precisa de mais uma licitação para ser concluída. Os alunos estudam desde 2012 em espaço alugado na Univel. Esta obra tem recursos de R$ 5,5 milhões previstos no orçamento.

 

3 - ESCOLA JOSÉ HENRIQUE TEIXEIRA – Bairro Morumbi


Depois do abandono das obras por parte da empresa contratada para fazer reforma, uma nova licitação foi realizada. O valor para a conclusão é de R$ 1,931 milhão, mas o município avalia se há recursos para dar sequência aos trabalhos. A secretaria acredita que será necessário remanejar as turmas, pois a escola não tem condições de receber as crianças.

 

4 - ESCOLA ALOYS JOÃO – Bairro Cancelli


A obra de R$ 74,9 mil tem recursos federais e os trabalhos estão em andamento.

 

5 - ESCOLA MANOEL LUDGERO POMPEU – Bairro Alto Alegre


A obra estimada em R$ 1,4 milhão foi iniciada em 2015 e não concluída. O município terá que ver se há recursos para fazer nova licitação.

 

6 - ESCOLA PROFª DULCE A. S. CUNHA (Caic I) – Bairro Clarito


A obra foi licitada no final do ano passado por R$ 1,629 milhão, mas o novo prefeito afirma que precisa verificar se existem recursos para dar continuidade aos trabalhos.

 

7 - ESCOLA ARTHUR OSCAR MOMBACH - Sede Alvorada


A obra que fará que com a escola de Sede Alvorada tenha uma sede própria e deixe de atender junto com a rede estadual está 67% pronta. Existem recursos para custear o valor de R$ 1,269 milhão contratado. O problema, segundo a nova gestão, é que a empresa foi notificada pelo FNDE por falha construtiva. É preciso uma regularização da empresa para seguir com a obra.

 

8 - ESCOLA ZUMBI DOS PALMARES - Assentamento Valmir Mota


A obra de R$ 1,186 milhão começou em janeiro do ano passado e está 60% concluída. Existem recursos do FNDE para a obra.

 

9 - ESCOLA ANIBAL LOPES DA SILVA - Bairro Floresta


A necessidade de reforma da escola foi alvo de reivindicação dos pais diversas vezes, mas a obra não foi planejada e licitada. O município afirma que a obra está na previsão geral para 2017, mas sem orçamento específico.

 

10 - ESCOLA MARIA TEREZA ABREU DE FIGUEIREDO - Santa Cruz


A escola não é reformada há muitos anos e precisaria ser maior para atender a demanda da comunidade. A prefeitura ainda não sabe quanto a obra pode custar.

 

11 - ESCOLA HERMES VEZZARO – Bairro Santo Onofre


A escola usa uma precária quadra de esportes emprestada pela associação de moradores e precisaria de mais espaço para atender as demandas da comunidade.

 

12 - ESCOLA NOSSA SENHORA DA SALETE – Bairro Brasmadeira


A reforma da escola do Brasmadeira está dentro da previsão geral para obras em 2017. O município ainda não sabe quanto o projeto vai custar e se haverá recursos para fazer a reestruturação este ano.

 

13 - ESCOLA FLORENCIO CARLOS DE A. NETO – Bairro Guarujá


Também não existe um projeto e custo estimado para a obra. A prefeitura promete fazer o planejamento e verificar se há recursos.

 

14 - ESCOLA FRANCISCO VAZ DE LIMA - Bairro Jardim Interlagos


Não existe previsão para esta obra em 2017 e o município pretende orçar e verificar se existem recursos.

 

15 - PROFESSORA KELLY CHRISTINA C. T. MIRANDA – Bairro Morumbi


Imagens mostram goteiras dentro da sala de aula, na estrutura que foi reaproveitada do antigo Caom. O município ainda não sabe quanto a reforma pode custar. 

Veja os outros assuntos abordados no diagnóstico da Secretaria de Educação. 

Carregar mais notas ao vivo
2 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário