Últimas de Cascavel
  • Há 18 Minutos Acidente é registrado na marginal da BR-277
  • Há 34 Minutos Receita Federal apreende contrabando encaminhado pelos Correios
  • Há 42 Minutos Greve dos Correios tem pouca adesão
  • Há 1 Hora Jovem tem laceração e suspeita de fratura em acidente com máquina
  • Há 1 Hora Motociclista tem suspeita de fratura após acidente no Centro
  • Há 1 Hora Ciclista fica ferida após queda no XIV de Novembro
  • Há 1 Hora Bombeiros combatem incêndio no Brasmadeira
  • Há 2 Horas Acidente na Av. Piquiri deixa um ferido
  • Mariana Lioto
  • CGN

09 Janeiro 2017 | 11h36min

Falta menos de um mês para a retomada do ano letivo e a Secretaria de Educação apresentou, na manhã de hoje, um diagnóstico sobre a situação da estrutura das escolas. Na avaliação são 15 unidades que tem prioridade para obra e duas delas estariam em situação tão complexa que não teriam condição de receber os alunos para o início do ano letivo.

Um das unidades é a Ita Sampaio, no Parque Verde e a outra é a José Henrique Teixeira, no Morumbi.

Segundo a secretaria de Educação, Marcia Aparecida Baldini, foram iniciadas obras nestas unidades mas as empresas não concluíram os trabalhos e abandonaram a construção. Com isso haveria situação de risco aos alunos e espaços inutilizados, além de itens no projeto que precisam ser adequados.

No Ita Sampaio não haveria previsão de recursos, para a obra que deve custar R$ 2,5  milhões.

Já no José Henrique Teixeira a obra de R$ 1,9 milhão foi licitada e o município avalia a disponibilidade de recursos para seguir com a contratação.  De qualquer forma, é impossível que as obras avancem até o início do ano letivo.

O município avalia a possibilidade de alugar espaços para receber provisoriamente os alunos com mais segurança. 

Panorama

O município apresentou na manhã desta segunda-feira (9) um diagnóstico inicial sobre as condições da Secretaria de Educação. Neste momento inicial, praticamente não foram repassados prazos para a solução dos problemas, o planejamento deve ser feito na sequência.

Para o prefeito Leonaldo Paranhos os números são preocupantes, mas não servem para desanimar e sim para “estimular”. Ele pediu o esforço pessoal de todos para atender as prioridades.

O orçamento estimado para 2017 é de R$ 243 milhões para a Secretaria de Educação.  

Veja os outros assuntos abordados no diagnóstico.

Carregar mais notas ao vivo
Veja mais notícias relacionadas
5 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário