Últimas de Cascavel
  • Há 2 Horas Jovem é socorrido em estado grave após atropelamento na Avenida da FAG
  • Há 2 Horas Moradores reclamam de escuridão próximo ao novo viaduto
  • Há 2 Horas Enio Luiz Guth precisa de doadores de sangue
  • Há 4 Horas Incêndio ambiental às margens da BR-467 é registrado
  • Há 5 Horas Assaltantes se identificam como policiais ao render vítimas
  • Há 5 Horas Corpo de garoto passará por exames no IML
  • Há 5 Horas Após discutir com a mulher, homem é detido pela PM
  • Há 6 Horas Samu: tempo de resposta para atender criança foi de 14 minutos
  • Mariana Lioto
  • CGN

02 Janeiro 2017 | 12h18min

Em meados de dezembro as empresas que fazem o transporte coletivo em Cascavel apresentaram ao Município um pedido de reajuste no valor da tarifa do serviço. Para as empresas o valor que é de R$ 3,30 precisa chegar a R$ 3,55 ou até a R$ 4,06, caso não haja um programa de demissão voluntária dos possíveis trabalhadores.

Por nota, Paranhos se posicionou hoje pela manhã sobre o assunto. A análise ainda é sucinta, devido à necessidade de um levantamento mais amplo, por parte do novo comando da Cettrans. Em primeira análise, no entanto, Paranhos afirmou que "não há justificativa para o reajuste".

“A questão está sendo tratada tecnicamente pelo prefeito Paranhos com o presidente da Cettrans, Alsir Pelissaro”, diz a nota. “Os reajustes precisam ser pautados pela planilha de custos, questão que está sendo devidamente tratada pela nova direção da Cettrans”.

Nos últimos anos, os reajustes vinham sendo anunciados anualmente, em geral no mês de dezembro, com a justificativa de que há uma cláusula do contrato que prevê este direito para as empresas. 

Carregar mais notas ao vivo
11 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário