• Mariana Lioto
  • NP Diário

05 Novembro 2016 | 08h23min

Uma foto tirada por um cidadão nesta semana viralizou nas redes sociais, mostrando um erro técnico na construção de uma calçada no entorno da Praça João Paulo II, no Bairro Vista Alegre, em Carlópolis, no norte pioneiro do Paraná.

A imagem mostra o piso tátil, que deveria servir de guia para orientação na caminhada de deficientes visuais e idosos interrompida pelo poste de energia elétrica, que simplesmente encontrava-se no meio da guia.

O Piso Tátil é utilizado em espaços públicos e privados para orientação de deficientes visuais e idosos. São dois modelos: o “direcional”, para orientação de percurso, que foi o piso instalado na praça, e o de “alerta” para avisar a mudança da direção ou perigo.

A foto causou um alvoroço nas redes sociais e viralizou em aplicativos de mensagem instantânea.

Na manhã de ontem (4), após o fato cair na “boca do povo”, a empresa resolveu corrigir o problema e “desviar” o trajeto, contornando o poste e corrigindo o erro.

Segundo informações do departamento de licitação da Prefeitura, a Praça João Paulo II com academia ao ar livre foi licitada no dia 17 de abril de 2015, pelo valor de R$ 217. 479,13 e a empresa vencedora do certame foi a Onix Engenharia e Construtora Ltda. de Carlópolis, que também é responsável pela execução da obra de reforma do Estádio Djalma Salles.

As informações são do NP Diário.

Carregar mais notas ao vivo
4 comentários
Zoiando 05/11/2016 17:42h
3
0
99% dos colocadores de pavers não sabem utilizar o piso tátil, pois acham que é para enfeitar a calçada. Ja vi varias com problemas Responder este comentário
Cidadao 05/11/2016 17:40h
1
1
Serviço 100%... Desde o contratante, empresa contratada, funcionario executor e fiscal que vistoriou aprovando. E dai quem vai assumir... Responder este comentário
Anonimo 05/11/2016 11:06h
5
0
vai ver, que eles não sabem para que serve o piso tátil vermelho, eles apenas quiseram deixar a calçada bonita. kkkk Responder este comentário
MR-8 05/11/2016 10:28h
2
0
E ficou bem feito! Geralmente quem fiscaliza essas obras são os engenheiros da Caixa que certas horas pecam por excesso de zelo, e que zel Responder este comentário
Envie seu comentário