• Maycon Corazza
  • CGN

19 Abril 2016 | 10h20min

O empresário cascavelense Paulo Gorski falou com a imprensa na manhã de hoje (19), após depoimento prestado a Polícia Federal de Cascavel. Ele saiu do interior da delegacia por volta das 10h15.

Gorski foi conduzido coercitivamente (quando a pessoa é obrigada a acompanhar os policiais e prestar depoimento), durante operação desencadeada em Foz do Iguaçu e Cascavel.

Paulo Gorski é presidente da Cettrans e também já foi secretário de Obras Públicas, mas o encaminhamento dele à PF não está relacionado a administração pública de Cascavel e sim a condição de empresário que presta serviço à Prefeitura de Foz do Iguaçu.

A empresa Samp Construtora de Obras, com sede em São Miguel do Iguaçu, que tem Paulo Gorski como sócio, presta atualmente dois serviços de pavimentação ao Município de Foz do Iguaçu, com contratos avaliados em R$ 18 milhões.

Na casa de Paulo Gorski foi apreendido um notebook. Durante o interrogatório, houve perguntas em relação a possíveis favorecimentos em licitação. A Polícia Federal quer saber se havia esquemas fraudulentos.

Paulo Gorski diz estar tranquilo com a investigação.

Outro empresário cascavelense Hélcio Alexandre Rodrigues também foi conduzido coercitivamente à delegacia de Polícia Federal em Cascavel.

A Operação Pecúlio iniciou-se há dois anos, mediante inquéritos policiais instaurados pela Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu.

A partir da análise dos elementos coletados no curso das investigações, foi possível constatar a existência de fortes indícios de ingerências de gestores do município, de forma direta e indireta, em empresas contratadas para prestação de serviços e realização de obras junto à Administração Municipal, para as quais foram direcionadas quantias milionárias de recursos públicos federais (PAC e outros), bem como em empresas contratadas para prestar serviços ao Sistema Único de Saúde – SUS.

Carregar mais notas ao vivo
28 comentários
Mostrar Mais
Envie seu comentário