Alessandro Meneghel  e a Imparcialidade da Justiça.

 

O assunto do momento é o julgamento do Alessandro Meneghel. É possível atestar que 99,999% das pessoas torcem por sua condenação. Eu, no entanto, não faço parte dessa galera.

Eu torço para que o Alessandro tenha direito a um julgamento JUSTO. Torço para que os jurados absolvam ou condenem o Alessandro pelo crime que ele está sendo acusado e somente por isso. Mas ele é culpado, já cometeu outros delitos e já se meteu em muita confusão dirão alguns. PAUSA. Opa, se Alessandro não possui bons antecedentes ou se gosta de uma briga (não foge do pau para ser direto), isso NÃO PODE INTERFERIR NO JULGAMENTO DO CASO. Esses fatos não estão em julgamento. A imputação é OBJETIVA: ALESSANDRO ESTÁ SENDO JULGADO PORQUE SUPOSTAMENTE ATIROU E MATOU UM POLICIAL – todo o mais (passado) não importa para definir sua culpa ou sua inocência.

Acho também que o fato do policial morto ser encrenqueiro ou possuir um histórico de problemas com a família Meneguel não deve ser levado em conta. A questão que os jurados terão que definir é uma só: QUEM ATIROU PRIMEIRO? Houve uma briga numa boate que resultou numa troca de tiros. O policial levou a pior, mas Alessandro também foi atingido e sua Pajero parecia uma peneira de tanto furo de bala.

E agora? O que fazer?

Valerão as provas do processo, mas se ao final os jurados tiverem dúvidas acerca de quem por primeiro puxou o gatilho, espero que valha a regra geral para todos os acusados: In dubio pro reo – não importando se esse Réu é rico, gosta de briga e já se meteu em outras confusões.

Encerro dizendo que pessoalmente torço pela absolvição do Alessandro porque ele é meu amigo e amigo diz o ditado: “não tem defeito”. Como advogado e cidadão, torço para que seja lá qual for o resultado, os jurados levem em conta apenas o conteúdo do processo e esqueçam o nome que estampa a capa da ação penal. Torço, pois, para um julgamento onde vença a justiça e somente ela…

Padrão

27 comentários em “Alessandro Meneghel  e a Imparcialidade da Justiça.

  1. helder sabadin disse:

    UM PESO DUAS MEDIDAS, ATÉ CORDEIROS VIRAREM LEÕES ; SE FOSSE O CONTRARIO O MORTO SEGUIRIA MATANDO COMO TANTOS POR AQUI, COM O APOIO INCONDICIONAL E TOTALMENTE PARCIAL DA ” JUSTIÇA ”.

  2. PEDRO LEODEGAR MOREIRA disse:

    HELDER E JUNIOR, VALE PARA OS DOIS…
    QUANTO É QUE GANHARAM DA FAMÍLIA MENEGUEL (PRINCIPALMENTE VOCÊ, JUNIOR…) PARA SE MANIFESTAREM A FAVOR DO ASSASSINO ????
    TAÍ, NÃO VALEU TODO O DINHEIRO DELES ….. VAI APODRECER NA CADEIA, DESTA VEZ NÃO TEM “MAMÃEZINHA DOENTE”, TORNOZELEIRA, E A PUTA QUE O PARIU …… ELE VAI VOLTAR A DAR O CÚ NA CADEIA, E, QUEM SABE, NÃO DÊ AULA PRA VOCÊS DOIS ???? ISSO, VÃO LÁ VISITAR ESSA BOSTA E PEGAR UMA DICAS DELE E DAÍ VOCÊS VÃO SOLTAR O RABO, MAS FIQUEM TRANQUILOS, PORQUE VOCÊS PODEM ESCOLHER PARA QUEM…… E LEVEM A MÃE DE VOCÊS JUNTO PARA DAR A BUCETA…. SEUS PORCOS, ASSASSINOS IGUAL A ELE…. CORNOS, VAGABUNDOS !!!

  3. Luis disse:

    Basicamente, você quer que ele seja inocentado apenas por ser seu amigo e ainda pede a imparcialidade da justiça? O seu amigo matou um policial, em frente de um local publico, com o risco de matar outras pessoas. As filmagens são bem claras. Não importa se foi no passado, não importa se foi um policial, foi uma vida e isso é imperdoavel. Enfim, o seu amigo foi condenado à 34 anos e 4 meses de prisão e isso é algo que talvez você não conheça Junior, isso se chama justiça.

    • Junior Preisner disse:

      Não Luis. Torcia pela absolvição porque vi os laudos do processo e acho que ele agiu em legítima defesa.
      E justiça acredite (e não digo pela condenação em si mas sim pela pena imposta) passou longe daquele Tribunal. Acho que o TJPR irá reduzir isso. Obrigado pelo comentário.

  4. iracema disse:

    concordo plenamente quem começou atirar gual o motivo p tanta violencia sera q foi por ligitima defesa poderia ser ao contrario tbm sera q o policial tivesse ele matado sera q seria condenado?

  5. Leonardo disse:

    Como poderia se esperar um julgamento imparcial na cidade onde se idolatra a Policia Federal em razão da Operação Lava Jato. O fato é que o acusado matou a vitima e foi condenado. Mas a dosimetria da pena é absurda. Basta olhar as penas aplicadas no Tribunal do Júri Cascavelense, e será observado que raras são as decisões que tem condenações superiores há 24 anos de prisão.

    • Junior Preisner disse:

      Leonardo, antes de tudo obrigado por ler o blog. Fui criticado pela esmagadora maioria dos comentários de quem leu o artigo. Eu sei que se trata de gente que não gosta de mim ou tem raiva da família Meneghel. Nesses casos, eu não tenho o que fazer – não se trata de um debate e sim de prejulgamento ou problema pessoal.
      Seu comentário, no entanto, foi diferente. Assustado com a pena imposta tratei de fazer uma pesquisa nos casos de maior repercussão na mídia para ter uma noção da medida do exagero no caso do Alessandro. E cito apenas um exemplo que me parece resolver: Alexandre Nardoni, condenado por atirar a própria filha da janela de um prédio (uma criancinha), pegou 31 anos. O Alessandro 34. Claro que o Tribunal de Justiça irá rever esse absurdo. Grande abraço.

  6. policial limpo disse:

    esse Junior Preisner só pode ta devendo pro Meneguel ou ta dando o rabo pra ele ou comparsa nas noitadas ou é cheirado de pó igual a ele. quem defende vagabundo vagabundo é.

  7. Fulano disse:

    Uma coisa que me deixa enojado são pessoas que o tempo todo buscam bajular poderosos, querendo defender o indefensável. Se julgam pessoas de bem, mas defendem assassinos com longa ficha criminal… Você queria justiça? Ela foi feita, para o alívio de (quase) todos. Não venha querer agora comparar com outros casos (casal Nardoni, etc.). Meneghel tem um passado sombrio, vários outros crimes recaem sobre ele. Se ele fosse pobre você teria a mesma insistência em defendê-lo? Certamente não, provavelmente até repetiria o jargão da turminha que o Meneghel representa: “Bandido bom é bandido morto”.

    Apesar de discordar, compreendo a sua posição. Ficar ao lado dos poderosos te dará proteção para continuar escrevendo sandices como sempre escreve nesse espaço ou oportunidade para trabalhar na imprensa dos amigos do assassino.

    • Junior Preisner disse:

      Companheiro,
      Antes de mais nada obrigado pela audiência. Minha família é amiga da família Meneghel faz mais de 40 anos. Não sei se ele é poderoso ou não – mas sim é meu amigo. Não trabalho na imprensa muito menos recebo qualquer remuneração pelo que escrevo. Já em casa (liminar em HC), tenho a certeza de que o Alessandro está te mandando um abraço.

  8. helder sabadin disse:

    MERITISSIMO;”PEDRO LEODEGAR MOREIRA”, JA CONDENADO EM SEU TEXTO P ASSASINATO POR VS SENHORIA GOSTARIA DE CITAR QUE O DINHEIRO NUNCA NORTEOU MINHA VIDA; A HUMILDADE , RETIDÃO E IMPARCIALIDADE SIM. NEM MESMO O VOCABULARIO UTILIZADO POR VS SENHORIA ME SURPREENDE MUITO NO SEU TEXTO,EM RELAÇAO A AULA E OUTRAS PALAVAS TÃO BEM DISTRIBUIDAS NO TEXTO, SE VE QUE VS MÃE NÃO FOI PROFESSORA; PEÇO PERDÃO POR TER DISCORDADO DE VSa OPINIÃO. DETALHE ”UM PESO DUAS MEDIDAS ATÉ QUE CORDEIROS VIREM LEÕES”. [ AVITÓRIA AMA A CAUTELA ]

  9. ricardo alpeis disse:

    Parabens pelo seu artigo, concordo plenamente com suas palavras, fez uma limpa e deveriam ter mais menegueis para realmente limpar a podridão da nossa city…

  10. Fernanda Cibelle disse:

    Está totalmente certo Junior, Alessandro deveria ser Julgado pelo crime que supostamente cometeu, e não por suas condutas anteriores…Como você mesmo sabe o Magistrado deve ser Imparcial, mas não foi o que pareceu o mesmo já foi com cede de Condenar o Alessandro, mas como está sendo feita a Justiça o nosso querido Dr. Dalledone já está com o alvará de soltura em mãos, pois foi deferido o Habeas Corpus, e tenho quase certeza que esse juri será ANULADO, bela matéria DR.Junior!!! fique á você meus votos Conquistas!!

    • Junior Preisner disse:

      Não se tratou de um julgamento de fatos e sim de um julgamento de sobrenome. O Dalledone já começou a reverter isso. Essa galera que não conhece a família e nem o Alessandro tem raiva de quem tem dinheiro. Um dia eles deveriam contar pra essa turma quem por anos sustentou a APAE de Cascavel e ajudou dezenas de pessoas carentes. É triste ver a que ponto chega a inveja e a imbecilidade…

      • Antonio Carlos disse:

        Eu iria me limitar aos fatos, mas já que você tocou nesse tema da conduta perante a sociedade, se realmente é amigo sabe que nem se existissem 1000 APAEs, padrão hotel 5 estrelas mantidas por eles, iria compensar o mal feito a antigos proprietários de algumas terras que atualmente pertencem à família. E só finalizando, tenho certeza que vc não é alguém que frequenta “baladas”, poi se fosse, veria o “mocinho” se transformando em “Lobisomem”… Acorda amigo, defender juridicamente é uma coisa, mas querer vender Lobo por Cordeiro é Hipocrisia ou seu conceito do que é ter boa índole está equivocado.

        • Junior Preisner disse:

          Releia o texto – eu disse 1) que torcia por um julgamento justo (não importasse o resultado) e 2) como amigo, torcia pela absolvição – não irei torcer contra um amigo. Simples assim.

  11. Leonardo disse:

    Bom. Está aí justiça restabelecida, prisão domiciliar. Data Maxima Venia, a vítima continua morto e o réu em casa. Todas as ardilosas palavras aqui ditas voltaram como um refluxo ao esôfago dos narradores.

    • Junior Preisner disse:

      Somente para um esclarecimento geral: 1) Eu disse que torço para um julgamento justo (para que não houvesse prejulgamento ou julgamento para além da acusação) e 2) COMO AMIGO, TORÇO PARA QUE TODOS OS MEUS – SEJA LÁ O CRIME QUE COMETERAM – SEJAM ABSOLVIDOS.
      Ao contrário do que pensam muitos do que me atacaram, obviamente não fui pago para escrever esse texto. Eu não cobro para dar minha opinião. O problema aqui é um só: Alessandro é rico (milionário em verdade). E isso incomoda muita gente. Veja os comentários na matéria que noticiou a apreensão de um Porsche esse final de semana. O problema não era a razão da apreensão e sim o fato de ser um Porsche. Ter um é quase crime no Brasil. Deus me livre!!!

  12. VERDADE disse:

    A matéria precisa esclarecer que o Direito Penal, ao analisar a existência de um crime, exige alguns pressupostos: 1. conduta/intenção do agente e a consequência/resultados de seus atos.
    Se concluir que o agressor teve o animus de matar alguém e teve êxito neste objetivo, parte-se para as demais circunstâncias, seja agravantes, atenuantes e reincidência.
    No caso do Sr. Alessandro Meneguel é incontável a intenção de matar a vítima; além disso, pesa contra ele todos os fatos do homicídio (dirigir pela contramão para surpreender a vitima, efetuar vários disparos de arma de fogo, etc). Analisados estes fatos passou-se aos demais atos e crimes praticados pelo agressor, que não eram poucos, tais como porte de arma e diversos outros crimes.
    Assim, resta evidente que a pena não foi injusta ou incorreta, rememorando-se que o juri composto por pessoas comuns que refletem a vontade popular, por isso a decisão do juri é SOBERANA!
    Causa estranheza o artigo, pois alega que a pena é demasiada para um réu confesso.

  13. Ana Sousa disse:

    Eu concordo plenamente pois quem não conhece a verdadeira historia não deveria esta falando pois concordo com o Junior se sinceramente não tem inocente nessa historia Alessandro sempre foi da noite e se o policial era tao correto assim não deveria estar na noite sozinho em uma casa noturna se ele estivesse em casa com a família com certeza estaria vivo ainda ate porque tem dois pesos e duas medidas nessa historia e esta apenas ficando o que convem fica fácil ter apenas um culpado

  14. Katita disse:

    Para um policial que encarava as mulheres dos outros e acompanhadas como se a vida dele não valesse nada … Ainda durou bastante …. Esse policial era tão corajoso que batia no peito para subir em cima de mulher até de procurador de justiça … Isso considerando uma arma na mão e alguns amigos por trás …. A coragem durou pouco …. agora a desculpa ficou a ideologia de quem esta vivo e e nesse jogo de ganha-ganha quem sobre vive são os defensores por parte da injustiça !!! E ha quem diga mais, e amém !!!!

  15. Jacir Hoiça disse:

    O fato é que Alessandro Meneghel Solto nas ruas é um potencial perigo para a Sociedade, ele inconsequente, uma pessoa que não evolui, não acompanhou o desenvolvimento moral, social, espiritual e material da humanidade.

  16. Fulano disse:

    “Tenho a certeza que o Meneghel está te mandando um abraço”.

    Isto seria uma ameaça velada?? Um deboche com a justiça e a sociedade? Virou menino de recado do assassino, Júnior?

    A Promotoria Pública vai adorar ler este seu “recado”.

  17. José Faraó disse:

    Quando vejo o Advogado do Meneghel dizendo que o réu é inocente, eu entendo, é o trabalho dele e ele está ganhando para isso. Mas vc JUNIOR PREISNER, nem o conheço e nunca tinha ouvido seu nome, mas seu texto me dá nojo, o vídeo é muito claro, quem parou o veículo ao lado da vítima foi o assassino CONDENADO, quem dá a ré o podendo sair do local escolhe parar e desferir diversos tiros de calibre doze, desconsiderando a existência de uma enorme aglomeração de pessoas foi mais uma vez o assassino, então me polpe né, questionar o quantum da pena aplicada até vai, agora dizer que o assassino está amparado pela legítima defesa, aaaaaa isso sim é parcialidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *