CGN

Inconfidências

Inconfidências

A revelação do primeiro codinome com que a senadora paranaense Gleisi Hoffmann estava registrada nas planilhas do departamento de propina da Odebrecht, conforme as delações de executivos e ex-executivos da empreiteira, causou um pouco de estranheza.

Afinal, ninguém entendeu porque foi dado a uma torcedora declarada do Atlético o apelido de “Coxa”, pelo qual é conhecido o arquirrival Coritiba Futebol Clube.

Faltou imaginação.

Já o segundo codinome atribuído à senadora provocou profundo constrangimento.

Casada com o ex-ministro Paulo Bernardo, ela também é identificada nos documentos como “Amante”.

Irritada com as várias e maldosas especulações que circulam sobre o assunto, Gleisi respondeu seus detratores revelando um sonho de criança: “Eu queria mesmo era ser freira”.

Não há dúvida que se tivesse concretizado a antiga aspiração ela estaria hoje bem mais feliz.

 

Deixe um comentário